Trabalho exemplar de inteligência evita roubo bilionário em SP

Na noite da última segunda-feira (2), a Polícia Civil de São Paulo impediu o que seria o maior roubo a bancos da história e prendeu 16 criminosos envolvidos na ação. O crime poderia resultar em um roubo de R$ 1 bilhão e um túnel de 600 metros já havia sido escavado, com destino ao cofre da base de distribuição do Banco do Brasil, localizado na Zona Sul de São Paulo.

Na manhã desta terça-feira, em coletiva organizada para explicar toda a ação, o governador Geraldo Alckmin esteve presente e elogiou o trabalho realizado pela polícia. “Venho trazer nossa palavra de cumprimentos à Secretaria de Segurança Pública, nossa Polícia Civil, ao DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) e toda a equipe que se dedicou a esse trabalho de inteligência”, agradeceu Alckmin.

Ouça o áudio:

Galeria7-35-1024x704
Sala de imprensa esteve cheia para explicações sobre a investigação e a ação dos criminosos

“Foi um trabalho exemplar de inteligência, tecnologia, antecipando a ação criminosa. Dezesseis presos! Fruto de três meses de trabalho, de análise cuidadosa, bem feita e em sigilo. E a prisão dessa quadrilha, com indícios de envolvimento de outros grandes crimes no Brasil. É um quadrilha altamente especializada… Inclusive a construção de túneis, com quase quatro milhões investidos nessa ação”, detalhou o governador.

Em seguida, o delegado Fábio Pinheiro Lopes, da Delegacia de Roubo a Bancos do Deic, explicou que a investigação teve início há cerca de três meses. “Começou um burburinho de uma ação bilionária em São Paulo. Passamos a determinação para procurar o que iria acontecer e levantamos a quadrilha há três meses. Começamos a monitorar e há um mês identificamos o QG da quadrilha, na Zona Norte. E em 15 dias conseguimos identificar onde seria o túnel”, disse o delegado, explicando que somente o cofre da base de distribuição do Banco do Brasil, em Santo Amaro, armazena essa quantia em São Paulo.

Depois, a Polícia Civil esperou um momento em que os líderes estariam reunidos para efetuar a prisão, que ocorreu sem qualquer disparo de arma de fogo e sem feridos. O delegado Lopes detalhou que o túnel já estava pronto e impressionou todo o trabalho de engenharia envolvido na ação. Havia serralheria, equipamentos de última geração e toda a infraestrutura de trabalho para a realização da obra, que estava perto do fim, tanto que já havia trilhos e dez carrinhos que seriam usados na retirada do dinheiro. Seriam, não fosse a ação da Polícia Civil.

Fonte: saopaulo.sp.gov.br

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar