Tapar o sol com a peneira

No dia seguinte a reunião com os líderes classistas que formam o Movimento Unificado S.O.S. Segurança Pública, o site da Secretaria de Segurança anunciou na tarde de 4 de novembro que o Governo do Estado fará a nomeação de 835 aprovados nos concursos para as polícias Civil e Técnico-Científica. Serão 722 cargos para as diversas carreiras policiais e 113 para técnicos e oficiais administrativos.

Segundo a notícia, as nomeações que serão assinadas pelo secretário Mágino Alves Barbosa Filho deve ser publicada em breve no Diário Oficial.

Apesar do site da Secretaria de Segurança Pública anunciar que desde o ano de 2011 o Governo do Estado já investiu na contratação de 3.638 policiais civis e 692 técnicos científicos, esses números estão muito aquém do urgente necessário para oferecer um trabalho de Polícia Judiciária com o mínimo de qualidade. Basta compararmos os números na tabela que segue:

Há que se considerar ainda que os cargos vagos nas carreiras que não serão contempladas com qualquer nomeação, certamente continuarão refletindo no desempenho precário da Instituição Polícia Civil como um todo, pois basta um simples cálculo aritmético para constatar que as 835 nomeações anunciadas representam menos de 10% do total de cargos vagos atualmente, no total de 8.646 nas diversas carreiras, sem contar os 3298 cargos que desapareceram com a extinção da carreira de carcereiro, o que demonstra que a Instituição está encolhendo a cada ano, proporcionalmente ao número de habitantes do Estado que deveria atender, gerando em consequência desse quadro desfalcado a grande falta de esclarecimento de delitos e punição dos seus autores, além de uma piora no atendimento ao público, num visível sucateamento da Instituição em geral.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar