SEMINÁRIO BUSCA RESPOSTAS PARA A ATUAL CONJUNTURA ECONÔMICA DO PAÍS

Juntamente com as demais entidades de classes representativas da Polícia Civil do Estado de São Paulo que formam o MOVIMENTO UNIFICADO S.O.S. SEGURANÇA PÚBLICA, o SINTELPOL participou nos dias 28 e 29 deste mês de julho do Seminário organizado pela Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo – FEESP-ESP, com o apoio da Nova Central Sindical – NCST.

Durante os dois dias de exposição e debates, foram apresentados assuntos de extrema importância para os servidores públicos em geral e que deverá atingir diretamente os policiais paulistas. Temas como – “Dívida Pública da União, Estados e Municípios”– que tem sido usado como principal argumento para o Governo Estadual justificar o não atendimento às reivindicações de vários setores do serviço público, inclusive da Polícia Civil, foi apresentado pela palestrante Carmem Bressane. A “Gestão Financeira do Estado de São Paulo” foi o tema apresentado e debatido por Anfredo Portinari Maranca, enquanto que o polêmico assunto que trata da “Previdência Geral e Própria”, foi exposto e debatido pelos palestrantes Décio Bruno Lopes e Natal Léo.

No último dia do encontro, o presidente da FEESP-ESP, Lineu Neves Mazano fez uma ampla análise dos Projetos que tramitam no Congresso Nacional, os quais, segundo informou, causarão enormes prejuízos aos servidores públicos de todo o Brasil, caso não haja uma mobilização nacional para impedir maiores estragos, pois como sempre, o servidor público vem sendo penalizado pela incompetência administrativa dos Governantes em geral, havendo a urgente necessidade de realização de uma Auditoria da Dívida Pública, que tem consumido quase metade (45,1%) dos recursos da União todos os anos, sendo que em Segurança Pública tem sido investido tão somente 0,33% no mesmo período.

Com os demais integrantes do MOVIMENTO S.O.S. SEGURANÇA PÚBLICA e o presidente da FEESP-ESP Lineu Neves Mazano, a Secretária Geral do SINTELPOL, Rosely Dionizio Guido integrou a mesa de abertura dos trabalhos, enfatizando a importância do Seminário na busca de caminhos para a solução dos graves problemas enfrentados pelos policiais civis paulistas e servidores públicos em nível nacional, especialmente considerando o fato que no Congresso Nacional existem 60 projetos de leis prontos para serem votados e na sua grande maioria retirando direitos do servidor público, a exemplo do PLP 257/2016.

(por Silvia Salles)

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar