Saúde detalha plano de prevenção de febre amarela no Estado

A Secretaria de Estado de Saúde anunciou, ontem, 10, as ações A partir de hoje, 11, o Parque Ecológico Tietê, que corta a Rodovia Ayrton Senna, na zona leste da capital, ficará fechado temporariamente. A ação é preventiva. Um macaco oriundo de Cajamar (Região Metropolitana de São Paulo) que estava em tratamento no parque, teve amostra positiva para febre amarela. “Dentro do parque, existe um centro de recuperação de animais (Cras – Centro de Recuperação de Animais Silvestres).

Esse animal veio de Cajamar porque tinha sinais de que teria sido eletrocutado. Durante o tratamento, a veterinária avaliou e ele estava com necropsia de membros. Foi realizada a eutanásia no animal porque ele não estava conseguindo se recuperar e passava por grande sofrimento”, explica a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, Regiane de Paula. É procedimento padrão do Estado coletar material de todo macaco doente ou morto em São Paulo.

As amostras foram encaminhadas e analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz, que encontrou o vírus. Ainda não é possível determinar o local onde o animal foi infectado. Ações de monitoramento de primatas não humanos e de mosquitos foram intensificadas no Parque Ecológico. “Fechamos o parque e vamos fazer toda a varredura, tanto do vetor quanto de macacos”, afirma Regiane. Os trabalhadores de lá estão sendo vacinados: mais de 85% estão imunizados até o momento. Cerca de 8 mil moradores dos redura que está sendo realizado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado em parceria com a Polícia Militar e o Centro de Operações Especiais da Polícia Civil.

As operações incluem monitoramento de primatas não humanos e coleta de mosquitos para pesquisa entomológica para observar a circulação do vírus da febre amarela. Os parques foram fechados no final do mês passado, também preventivamente, após a morte de um macaco bugio por febre amarela silvestre no Horto Florestal. Como o parque fica em uma área urbana, foi recomendada a imunização da população do entorno. Mais de 750 mil pessoas da região receberam a vacina. A orientação da secretaria é que, de – pois da reabertura, as pessoas somente frequentem os dois parques se estiverem vacinadas contra a febre amarela ou que usem repelentes. Imunização ampliada – Nos próximos dias, a secretaria irá receber do Ministério da Saúde 2,8 milhões de doses da vacina contra a doença, o que possibilitará reforçar a imunização nas áreas indicadas da capital paulista, além de expandir para as regiões do Alto Tietê e Osasco, até dezembro. Para estar imunizado, basta uma dose única.

A proteção é definitiva para adultos. Crianças a partir de 9 meses e idosos também podem ser vacinados. A pasta trabalha com a possibilidade de ampliar a vacinação para todo o Estado de São Paulo no ano que vem, com uma vacina fracionada, capaz de garantir a imunidade por pelo menos nove anos. A equipe aguarda orientações do Ministério da Saúde em relação às exigências da Organização Mundial de Saúde para realizar a ação. 

Veja a notícia na íntegra.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar