Primeiro edital da série deve ser para agente de telecomunicações

O concurso de agente de telecomunicações deve ser uma das prioridades da Polícia Civil de São Paulo para este ano. O fato de não contar mais com aprovados do último concurso torna o concurso a única possibilidade de suprir a carência da categoria. “O agente de telecomunicações é um que nós não temos de onde tirar aprovados. A última leva foi em janeiro do ano passado. Já existe a proposta de concurso que foi encaminhada a Secretaria de Segurança, mas dependemos obviamente da autorização do governo” destacou em entrevista à FOLHA DIRIGIDA o delegado geral da Polícia Civil de São Paulo, Youssef Abou Chahin (confira a entrevista completa). O cargo está incluso no pedido de autorização para o preenchimento de 3.176 vagas, enviado à Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado de São Paulo. Do total, 2.629 são para a Polícia Judiciária e 547 para a Superintendência da Polícia Técnico Científica A expectativa da instituição é de que as novas contratações sejam autorizadas até o segundo semestre, após o reajuste orçamentário que o governo vem realizando. “Tenho certeza de que o governo está segurando para fazer uma avaliação do que pode acontecer até o meio do ano, e do meio do ano ele vai começar a soltar devagarzinho as coisas, o que ele não quer é comprometer o orçamento no primeiro semestre”, completou Chahin.

Outro cargo que também conta com uma nova seleção em planejamento para este ano é o de agente policial. A função ainda com conta com remanescentes do último concurso, mas devido à mudança na escolaridade do cargo a Polícia Civil não tem a intenção de realizar novas convocações, tendo em vista que as vagas iniciais do concurso já foram preenchidas. “A idéia neste caso é um novo concurso. os tramites são para que a gente faça um novo concurso” explicou o delegado geral.

As novas seleções já estão nos planos do órgão desde o fim do primeiro semestre, devido ao grande número de aposentadorias previstas para os próximos anos, decorrentes da Lei Complementar 144/2014. O texto, sancionado pela presidente Dilma Rousseff em maio, reduz de 70 para 65 anos a aposentadoria compulsória para o serviço policial.

Das vagas solicitadas pela Polícia Civil, 851 para cargos de nível médio e 2.325 de nível superior, distribuídas por 13 carreiras. Do total 249 são para agente policial e 252 para agente de telecomunicações. A exigência para os dois cargos é de nível médio completo e as remunerações são de R$3.365,11 e R$4.023,29, respectivamente, já incluso o adicional de insalubridade, no valor de R$571,51.

Para nível médio o pedido ainda conta com vagas para auxiliar de papiloscopista, atendente de necrotério, auxiliar de necropsia, papiloscopista, desenhista, fotógrafo técnico pericial. Para nível superior as oportunidades são para perito, médico legista, investigador, escrivão e delegado. As remunerações variam de R$3.365,11 a R$ 10.079, já incluso o adicional de insalubridade, no valor de R$571,51, reajustado no mês de março.

A Polícia Civil avalia que a carência atual somente para a Polícia Judiciária é de cerca de 5 mil servidores. “Com esses concursos pretendemos, no mínimo, suprir isso em 2.300 pelo menos. Temos duas vertentes, aproveitar os remanescentes, caso eles existam e seja possível, e novos concursos”, destaca o delegado. O número de contratações dos concursos em andamento preencheria o défcit, de acordo com Chahin. “As vagas que vamos preencher com os concursos em andamento, mais as que solicitamos autorização preenchem essas 5 mil vagas da carência”, completa.

REMANESCENTES
Enquanto se esforça para garantir a realização de concursos para as carreiras de agente policial e de telecomunicações, Youssef Abou Chahin trabalha com a possibilidade de aproveitar remanescentes dos concursos em andamento para investigador, escrivão e delegado. Nestes casos parte das vagas autorizadas seriam destinadas a este fim. Para isso a instituição aguarda o encerramento destas seleções, que deve acontecer nos próximos meses, para então calcular a quantidade que deve ser aproveitada. “O emergencial é escrivão e delegado de polícia. Com as aposentadorias, que já comentamos, estes foram os cargos mais atingidos. Essas são duas carreiras que pretendemos convocar os remanescentes dos concursos, além de investigador”, salientou. Apesar do aproveitamento, estes cargos devem contar com novos concursos já no ano que vem.

PROCESSO SELETIVO
Para os novos concursos de nível médio a Polícia Civil não pretende realizar alterações no formato da seleção. Tanto as etapas quanto no conteúdo programático devem seguir o padrão dos últimos concursos do órgão. As únicas alterações serão para os cargos de nível superior que voltarão a incluir a prova oral em seus concursos, com exceção de delegado, que já conta com a etapa.

Fonte: http://www.folhadirigida.com.br
FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar