Encontro de mulheres encerra homenagens

fotos-mulheres-encontro-editadaA presidente do SINTELPOL , Rosely Dionizio Guido participou neste dia 21 de março das solenidades de encerramento em comemoração as históricas lutas e conquistas da mulher por igualdades sociais, políticas e econômicas e que tem o seu marco maior no dia 8 de março, quando desde 1977 foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas, como o Dia Internacional da Mulher.

O evento organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na indústria –CNTI;  Nova Central Sindical de Trabalhadores de São Paulo – NCST-SP e Confederação dos Servidores Públicos do Brasil – CSPB contou com a participação de inúmeras Federações dos mais variados segmentos profissionais e dos serviços públicos, como a Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo – FESSP-ESP do qual o SINTELPOL é filiado.

Durante todo o dia, o Encontro de Mulheres Trabalhadoras do Estado de São Paulo aconteceu no amplo auditório da Associação dos Oficiais da Reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo – na rua Tabatinguera, área central da cidade, ocasião em que os presentes tiveram a oportunidade de participar de palestras que abordaram importantes temas como Assédio Moral e as doenças provenientes do trabalho, ministrada pela Advogada e Doutoranda em Ciências de Saúde, dra. Fabíola Campos; A importância da conscientização do voto feminino, com a vereadora Janete Rocha Pietá, além de uma oficina tratando da Auto Estima, coordenada pela dra. Luci Costamagna Parmejani, psicóloga, educadora e terapeuta sexual, encerrando o encontro com entrega de certificados e um fraterno coffee break.

A presidente do SINTELPOL, Rosely Dionizio Guido destacou a importância desse acontecimento anual, com vistas ao reconhecimento cada vez maior do real papel que a mulher desempenha na sociedade atual. “Mesmo considerando que esse dia consagra a  luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho desde o final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos, aqui ainda temos muitas batalhas a serem vencidas nos nossos dias e por esse motivo é que estamos aqui. Por sermos guerreiras, nas diversas áreas que atuamos, seja na vida pessoal e profissional, temos ainda o imprescindível papel de agentes transformadoras desta e das próximas gerações”, afirmou a presidente do SINTELPOL, para quem a mulher atual deve ter o compromisso moral de também buscar recuperar o Brasil dessa situação de imoralidade que se abateu sobre quase toda a classe política nacional, com drásticas consequências de injustiças sociais e inseguranças quanto ao futuro democrático do País.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar