Atividades e exercícios físicos ajudam a prolongar a vida

A Organização Mundial de Saúde recomenda que adultos pratiquem pelo do Grupo de Estudos e Pesquisas Epidemiológicas em Atividades Física e Saúde da USP (Gepaf), que tem como objeto de estudo a prática de atividade física em populações, alerta: “A pessoa que pratica exercício físico, mas permanece muitas horas sentada, pode ser considerada sedentária e ter sua saúde prejudicada também. “Não é porque pratica exercício que não é sedentário”.

Pesquisa – É exatamente isso que está ocorrendo com a população paulista, que tem aumentado diariamente o tempo de permanência em posição sentada. Essa informação consta do trabalho realizado pelo Centro de Estudos do Laboratório de Aptidões Físicas de São Caetano do Sul (Celafiscs) – idealizador do Programa Agita São Paulo, com quem a Secretaria de Estado da Saúde mantém parceria, que encomendou pesquisa de nível de atividade física realizada entre junho e agosto deste ano em 13 Regiões Administrativas do Estado de São Paulo, Região Metropolitana de São Paulo e Região Litorânea, totalizando 50 municípios e a cidade de controle, Belo Horizonte. O estudo teve como princípio o questionário internacional de atividade física (Ipaq – Internacional Phisycal Activity Questionnaire), aplicado pelo Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (Inpes/Uscs).

“O Programa Agita São Paulo existe há 20 anos e periodicamente encomendamos pesquisa para verificarmos o que está ocorrendo com o perfil da atividade física do paulista, pois nossa proposta é estimular a população a ser mais ativa. A boa notícia que essa pesquisa traz é que 72% da população do Estado de São Paulo alcança o mínimo de recomendação para ser ativa, que são os 30 minutos de atividade física preconizados por autoridades da saúde, em pelo menos cinco Atividades e exercícios físicos ajudam a prolongar a vida Pesquisa com 2.570 entrevistados revela que a população paulista tem fi cado cada vez mais na posição sentada A Para o professor de Epidemiologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo, Alex Antonio Florindo, “todo exercício físico é atividade física, mas nem toda atividade física é exercício físico”. 

Veja a notícia na íntegra.

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar