A cura pela hidratação

Na estação mais quente do ano (o verão, que começou no dia 21 de dezembro) deve-se ingerir bastante líquido e caprichar na alimentação saudável para prevenir a ocorrência de pedras nos rins, recomendam especialistas do Centro de Referência da Saúde do Homem, conhecido como Hospital do Homem, localizado no Jardim Paulista, zona sul da capital.

O médico-chefe do ambula- tório de litíase renal do centro, Fábio Vicentini, explica que o problema é mais recorrente no verão porque as pessoas trans- piram mais e não se alimentam de maneira apropriada.

“Nessa época do ano, a água ingerida é eliminada mais rapidamente pela transpiração.

O rim produz menos urina e surgem os cristais, parecidos com grãos de areia, que se juntam para formar os cálculos renais”, explica.

O alerta costuma ser divulga- do sempre em dezembro, pois a baixa ingestão de líquidos leva à manifestação dos cálculos renais após cerca de um mês do início do verão.

“Em fevereiro ou março, registramos aumento de 20% a 30% no número de atendimento no nosso pronto-socorro, cujos pacientes se queixam de dor renal”, relata Vicentini.

“A cólica renal é uma das dores mais intensas já observadas na medicina.

Ela se manifesta de repente de um lado ou do outro da lombar, se desloca para a barriga e chega ao umbigo.” O médico afirma que esse desconforto só melhora com a ajuda de medicamentos.

Prevenção – O problema era mais comum entre homens, mas o especialista informa que, hoje em dia, também atinge mulheres devido ao sedentarismo e aos maus hábitos de vida, como obesidade e alimentação inadequada.

Pacientes com diabetes têm mais possibilidade de con- trair cálculos renais.

Quem já teve episódios de cálculo renal tem 50% mais probabilidade de reincidência, se não investir na prevenção.

A dieta ideal para a saúde dos rins inclui primordialmente o aumento da ingestão de água (cerca de dois litros por dia) e de sucos de frutas cítricas, em especial limão, laranja e melão.

O urologista informa que a maneira mais fácil de monitorar a hidratação ideal do corpo é observar a coloração da urina.

“Quanto mais transparente ela estiver, melhor.

Se sua aparência for amarelo- -escuro, é sinal de que o corpo precisa de mais líquidos para manter-se hidratado e longe dos cálculos renais”.

A orientação é reduzir o sal dos alimentos, assim como o consumo de embutidos e industrializados.

Prefira refeições diárias com mais verduras, legumes, frutas e saladas.

Seguindo essa orientação, o paciente com cálculo renal anterior terá reduzida (de 50% para 10%) a probabilidade de novas crises.

Menos carne vermelha – Os fru- tos do mar contêm altas doses de ácido úrico, um dos responsáveis pelo desenvolvimento dos cálculos renais.

“É importante também considerar a diminuição de frituras e carne vermelha nesta época de calor”, enfatiza o urologista.

Atente aos perigos das receitas caseiras – chás popularmente conheci- dos como quebra-pedra, que não reduzem as pedras renais (a chamada calculose).

Mais de 15% da população mundial apre- senta cálculos renais, mas a maioria das pessoas (85%) consegue expelir as pedras naturalmente, pela urina.

“Nos casos de dores e cólicas renais, os pacientes devem procurar o urologista para evitar infecções graves”, aconselha.

O tratamento depende da avaliação do tamanho do cálculo renal e sua locali- zação no rim.

Situações extremas exigem diálise e, se houver perda da função renal, será necessário transplante renal (5% dos casos).

“Rim obstruído durante mais de 30 dias e sem assistência médica pode levar à perda irreversível da função renal”, alerta o especialista.

O Hospital do Homem, unidade da Secretaria Estadual da Saúde, gerenciada em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), na capital paulista, realiza mais de 200 atendimentos por mês, entre consultas, tratamento com litotripsia (procedimento não invasivo com equipamento gerador de ondas de choque que provocam a quebra das pedras nos rins) e cirurgias.

O hospital recebe pacientes encaminhados pela rede básica de saúde.

Viviane Gomes Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial Assessoria de Comunicação do Centro de Referência da Saúde do Homem Iamspe:

atenção especial ao paciente com câncer O Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) criou o Cancer board no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE).

O objetivo é integrar e desenvolver política de atenção oncológica aos seus beneficiários.

O câncer é a segunda causa de morte no País, atrás das doenças cardiovasculares.

O board ficará sob a coordenação de Otávio Gampel, diretor do Serviço de Oncologia do HSPE, com a participação de todos os serviços que realizam atendimentos a pa cientes oncológicos.

Dentre as várias funções do grupo, está a criação de uma equipe multidisciplinar e integrada para organizar a atenção em oncologia prestada pelo instituto.

A ação envolve a definição de diretrizes clínicas pactuadas entre os diversos serviços, a elaboração de um plano de investimentos em qualificação de profissionais e em incorporação tecnológica, o estabelecimento de normas e rotinas para a regulação em oncologia e a criação de um sistema de informação que possibilite o acompanhamento dos pacientes e a avaliação da atuação do board .

Segundo Gampel, o setor integrará todos os serviços oncológicos e contará com o apoio das 43 especialidades do HSPE.

Valorizar o usuário – “O Iamspe atende 10% da população idosa do Estado de São Paulo, por isso a necessidade de priorizar o assunto.

Conversamos com todos os diretores de serviços e as espe- cialidades integrarão o Cancer Board .” Caberá a este board , também, a definição de protocolos de prevenção, bem como as prioridades em campanhas de educação em saúde.

“O projeto faz parte da política de valorização dos servidores pelo Governo do Estado, para melhorar a qualidade de vida do funcionalismo público e dar continuidade ao processo de liderança que o Sistema de Saúde Iamspe sempre teve na medicina do País”, afirma o superintendente do órgão, Latif Abrão Junior.

O Hospital do Servidor atende mensalmente mil pacientes no ambulatório de oncologia.

Números do atendimento – O Iamspe, autarquia vinculada à Secretaria Estadual da Gestão Pública, tem uma das maiores redes de atendimento para funcionários públicos do País.

Além do HSPE, na capital, oferece 17 postos de atendimento próprios no interior, os Centros de Assistência Médico-Ambulatorial (Ceamas), e assistência em mais de 100 hospitais e 140 laboratórios de aná- lises clínicas e de imagem credenciados pela instituição, beneficiando 1,3 milhão de pessoas no Estado.

Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar